Tags: photobooth - death cab for cutie

=)

tirando a poeira disso aqui!

nem lembro quando foi a última vez que eu passei por aqui; o livejournal.com até já mudou de cara e eu ainda não tinha visto.

não que minha vida seja muito tumultuada e cheia de acontecimentos interessantes, mas é que o cansaço começou, agora em pleno outubro, a querer tomar conta de mim, segurar meus braços e me empurrar na cama. e pior: ele é mais forte que eu.

agora, sem mais prosopopéias(ou seriam metáforas? nesses casos eu nunca sei o que marcar nas questões de múltipla escolha! SIM, eu sei que são duas figuras de linguagem completamente diferentes mas existem casos em que elas se parecem muito, como esse. mas isso já é outra história, voltemos ao texto): um monte de coisa vem acontecendo, sim, comigo e com as pessoas ao redor de mim, mas acho que não convém ficar falando disso aqui. tudo bem que o propósito desse coiso é ser um pseudodiário, ou pelo menos servir de "desabafador" de pensamentos, ou angústias, ou qualquer outra coisa parecida. mas a questão é que eu não vejo necessidade de ficar falando dessas coisas tão intimas pra estranhos(mesmo que assim, oficialmente, só no máximo 2 pessoas vejam isso aqui, seria muito ingênuo da minha parte pensar que em plena internet o meu livejournal inútil não está sendo visto por mais pessoas que eu não faço idéia de quem sejam) e ainda mais envolvendo fatos das vidas outras pessoas. eu me basto nisso aqui, não é mesmo?

tenho escrito muito desde que o 2o semestre escolar começou, mas voltei a guardar absolutamente tudo pra mim. geralmente esses surtos de querer escrever vêm nas aulas chatas de biologia, ou nas aulas legais mas inúteis a essa altura do ano de história ou geografia.
e eu tenho escrito coisas realmente boas.
mas, como eu disse antes, são coisas tão minhas que fica impossível colocá-las aqui, nuas e completamente expostas pra um monte de desocupado que por acaso possa vir a ler isso aqui.
com esse surtos, eu voltei a escrever quase tão bem e bonito quanto nos velhos tempos; o único probleminha é que eu só consegui voltar a escrever assim porque são coisas tão minhas, sentimentos tão íntimos e tão borbulhando que consigo falar delas com a maior autoridade do mundo, por conhecer muito bem cada pedacinho dos assuntos que podem virar um texto.

ou seja, terei que adiar o momento em que mostrarei meu lado de escrever bonito por aqui.
e, bom, na verdade, eu nem sei se um dia eu vou ser capaz de mostrar.
não aqui.