Nowadays Atmospheres

la folie that keeps on giving|quotidiano aos pedaços|episodios de los regalos

do amor
jamie liddel
_nowadays_
se amor não é trocar uma tosta menos entediante (frango azeitonas maionese) que o outro escolheu por uma completamente entediante (parmesão fiambre vestígios de gouda), deve andar lá perto.
isso, e sentir falta de dormir na mesma cama, para sentir o calor que emana do corpo do outro. e ter quase trinta anos e parecer um adolescente de quinze cada vez que se está com o outro.

honey, now if i´m honest, i still don´t know what love is.

da mortalidade
jamie liddel
_nowadays_
ontem acordei perto da meia noite com o meu pai a arfar incessamentemente na cozinha; a príncípio pensei que estava em actividades de cariz lúdico com a minha mãe (hey, 49 anos de idade, bitches ain´t exactly dead); mas depois escutei a voz nervosa dela ao telefone com alguém (técnicos do INEM, como vim a confirmar segundos depois). pode ser um lugar comum, mas naquele instante de segundo em que vi o meu pai, que só se queixa e chama a atenção para si quando algo de grave está, realmente, a suceder-lhe, e a minha mãe em desespero, como quando acordei de um desmaio em casa em que estive inconsciente uns bons minutos, caiu a ficha em como nada é eterno. nem aqueles que, tantas vezes, tomo por garantidos.

felizmente, do mal menor, foi uma cólica renal, que o fez passar a noite toda internado no hospital a receber medicação; e como é claro, uma hora depois de ter recebido alta, estava a trabalhar. nisso sim, somos exactamente iguais: já estamos semi-operacionais? então andamento para a frente.

white nights
jamie liddel
_nowadays_

rest assure your love is pure
jamie liddel
_nowadays_

isto
jamie liddel
_nowadays_
(...)enterra isto e não fales de mim a ninguém(...)


isto; acordar as cinco da manhã, porque sabia que era a hora que eu acordava, para me enviar mensagens, mostrar-me fotografias de família, escancarar parte da sua vida. isto.


eu não percebo as pessoas. e sim, hoje sinto-me um valente balde de merda, com asa reforçada e divisórias (different people, same shit).

it´s easier to be alone
jamie liddel
_nowadays_
tudo o que sei (receitas, moradas, os graffitis em paredes de ruas por onde passo uma, duas, três vezes e ficam gravados na minha memória), tudo o que me lembro (cheiros, conversas inteiras que tive com A, B, C, o toque de estranhos que por um par de horas circunscreveram os limites da minha racionalidade), tudo o que se condensou nos últimos dias (o facto de despertar o interesse numa besta social que obviamente não sabe fazer escolhas), vai ser aquilo que este ano embelezará o cinzento da época de ressureição.

a outra é que tem razão, it´s easier to be alone.

(no subject)
jamie liddel
_nowadays_
When I was a girl, my life was music that was always getting louder. Everything moved me. A dog following a stranger. That made me feel so much. A calendar that showed the wrong month. I could have cried over it. I did. Where the smoke from a chimney ended. How an overturned bottle rested at the edge of a table.
I spent my life learning to feel less.
Everyday I felt less.
Is that growing old? Or
is it something worse?

You cannot protect yourself from sadness without protecting yourself from happiness.
(...)
Anyone who beleives that a second is faster than a decade did not live my life.



Jonathan Safran Foer @ Extremely Loud and Incredibly Close


a kiss is still a kiss
jamie liddel
_nowadays_


quem espera sempre alcança, é certo...



mas eu já não tenho idade para certas danças.



só a minha sorte_nula me pode aguentar nestes dias.


what´s so special about me, i´m ordinary
jamie liddel
_nowadays_


you are so persistant
oh you're so persistant
should we act like people
who think they have seen it all


porque não é segredo nenhum por estas bandas que eu lido melhor com a rejeição do que com a aceitação; e não sei para onde me virar. vou vivendo, como diria o outro, até que bata com a cabeça na parede outra vez.



acho que ainda não ouvi um remix feito pelo trentmoller que fosse mau; bem que os podia aglomerar todos num cd para me alegrar (e facilitar) os dias.


is it me you're after ?

we carry on carry on
jamie liddel
_nowadays_
corria o ano de 2004 (ou seria 2005?) quando a photogram me mostrou pela primeira vez a música dos M83; fiquei imediatamente rendido ao seus encantos e mestria em conjugar melodias com base fortemente electrónica com a camada, imediata, do formato pop. e ao longo dos anos, fiquei atento ao seu trabalho e sempre com a esperança de que um dia, lhes desse na bolha de visitar este canto à beira mar plantado.

por isso, quando anunciaram o concerto de ontem, ainda 2011 não estava a finar-se, acorri a comprar bilhete; e a expectativa era deveras alta; não que a nova forma deles seja a minha de eleição (spank me, i´m a purist), mas músicas como a skin of the night ou intro deixam-me nos píncaros para abanar o pandeiro de forma condoída.

apesar dos instrumentos demasiado altos (em algumas partes as vozes pura e simplesmente não se conseguiam ouvir), o concerto foi o melhor que já vi este ano (ok, o ano ainda nem vai a meio, but keep calm and carry on), com um setlist que felizmente não esqueceu o passado e conseguiu prestar a homenagem devida ao presente, com algumas músicas a ter direito a roupagens novas.

por favor, voltem. e depressinha e numa sala maior e com um som em que se consiga ouvir o que estão a cantar.

http://a6.sphotos.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash4/423249_10150696726043265_784313264_9308001_347307439_n.jpg

?

Log in